sexta-feira, 2 de março de 2018

PENSAR FILOSOFICAMENTE - um livro para aprender a filosofar


Para que serve a filosofia?

Se forem tomadas como base as necessidades imediatas das pessoas, pode parecer que a filosofia é inútil. Elas se movem pela urgência em ganhar dinheiro, querem que os filhos entrem para a universidade, querem passar em algum concurso público, querem trocar de carro, viajar, entre outras coisas, algumas necessárias e outras supérfluas. As pesquisas científicas mais valorizadas são as que buscam cura para doenças e as que promovem os avanços tecnológicos. Assim, com base nessa linha de pensamento, a filosofia parece inútil, pois não contribui para esses ganhos imediatos que movem os seres humanos.
Entretanto, a filosofia é extremamente necessária, já que lança um olhar amplo sobre todas as descobertas, sobre a vida humana, sobre o desenvolvimento das sociedades, buscando respostas para as questões que surgem de cada acontecimento. Ao “pensar o pensamento”, a filosofia questiona incessante-mente todas as coisas, possibilitando que se reconstrua continuamente o já construído. Por esse caráter transformador do pensamento filosófico, muitos o veem como perigoso, pois  desestabiliza o poder constituído e as verdades apresentadas como normas, confrontando o poder.
Ou seja, como a coruja que chega no início da noite  e lança seus grandes olhos sobre as cidades, a filosofia  busca lançar o  olhar sobre os fatos e fenômenos que já aconteceram, consistindo numa disciplina que surge depois de todos os acontecimentos, com a finalidade de  analisar o que foi dito, o que ocorreu, os efeitos do ocorrido sobre as pessoas e sobre o mundo. Como a coruja, ela sobrevoa a cidade  somente depois que  a noite  já caiu sobre o dia, para observar com seus olhos redondos e arregalados o mundo e as pessoas. Através da filosofia, o homem observa e reflete sobre o mundo, para então trazer análises, ponderações e respostas para as perguntas que ficaram no ar.
Etimologicamente, a palavra “filosofia” é formada por duas partes: philos + sophia, e significa “amor à sabedoria” ou “amizade pelo saber”, o filósofo seria aquele que ama e procura a sabedoria. De acordo com o  filósofo alemão Immanuel Kant,

(...) só é possível aprender a filosofar, ou seja, exercitar o talento da razão, fazendo-a seguir os seus princípios universais em certas tentativas filosóficas já existentes, mas sempre reservando à razão o direito de investigar aqueles princípios até mesmo em suas fontes, confirmando-os ou rejeitando-os;(1983, p.407-408)

            Assim, na visão de Kant, mesmo que você estude o pensamento dos grandes filósofos (e é importante essa leitura), o mais importante é aprender a filosofar, aprender a refletir por si próprio(a), analisando o que lhe foi dito antes de aceitar um discurso como verdadeiro. É preciso aprender a confirmar ou rejeitar as ideias e conceitos que são apre-sentados cotidianamente como verdadeiros. Ou seja, a filosofia é uma experiência em que a pessoa passa a pensar sobre tudo, permanentemente. A filosofia é uma atitude diante da vida, tanto no dia a dia como nas situações difíceis diante das quais precisamos tomar decisões importantes.
            Assim, tendo a oportunidade de aprender filosofia, é importante sair da sua posição de passividade e buscar desenvolver uma atitude filosófica, passando a refletir criticamente e a investigar fatos e verdades prontas antes de reproduzir um discurso ou atitudes que podem não ser o que parecem.

(NUNES, Ana Idalina Carvalho. Pensar Filosoficamente. Juiz de Fora, edição do autor, 2018.). Transcrição exata das p. 14 - 15.).

*****

Texto da contracapa

Este livro traz uma compilação de saberes filosóficos que, além de possibilitarem a compreensão do processo de construção do conhecimento, fornecem  instrumentos  para uma apropriação efetiva do discurso, pré-requisito para o sucesso na vida acadêmica, profissional e pessoal. O livro está dividido em três partes que abordam, respectivamente, a gênese do pensamento filosófico, a estruturação da argumentação lógica e os temas que movem a filosofia contemporânea. A partir de uma metodologia que visa dar autonomia aos aprendizes, a obra é indispensável para os que pretendem ingressar na universidade, já que traz para alunos e alunas os instrumentos necessários para a compreensão de enunciados em provas de concursos e para a construção de uma argumentação consistente na produção de textos dissertativos. Por outro lado, o livro traz uma filosofia voltada para a vida prática, aplicada à profissão, à vida social e pessoal, elegendo o discurso e o diálogo como elementos fundamentais para o pertencimento social. Sob esse aspecto, torna-se possível afirmar que os conhecimentos transmitidos nesta obra podem contribuir muito para que os leitores e leitoras tenham uma vida melhor.


                                                                   A autora


          Nascida em 30 de dezembro de 1960, na cidade de Cataguases (MG),  Ana Idalina Carvalho Nunes é escritora, professora e pesquisadora. Bacharela e licenciada em Filosofia, é especialista em Filosofia Política e mestra em Ciências Sociais. Toda a sua trajetória acadêmica ocorreu dentro da Universidade Federal de Juiz de Fora, onde também cursou “Filosofia para crianças” (Núcleo de Pesquisa Pensando Bem), atuando também como colaboradora no PIDET - Programa de Identificação e Desenvolvimento de Estudantes Talentosos (PPGPSI, 2013), orientando jovens com altas habilidades no Colégio de Aplicação João XXIII. Foi coordenadora municipal de cultura de Cataguases (2001-2002) e editou, entre 1995 e 2000, a revista de literatura e arte “Pensaminto”. Pensar filosoficamente é o quinto livro publicado de Idalina, todavia, é o primeiro livro didático. Sua produção que, inicialmente, estava exclusivamente voltada para a área literária, apresentou uma nova fase que se iniciou com a publicação, em 2017, do livro Criminalizar para punir: a dinâmica de neutralização da juventude pobre e negra no Brasil. A obra é resultante de uma pesquisa científica iniciada em 2012 e ainda em curso. Os três livros anteriores a esses são: Beijar, ficar e outros verbos adolescentes (2015), Meandros: poemas e minicontos (2010) e  Quase pecado: poesia e prosa (2001).

Contato com a autora:  aicn.editora@gmail.com

Para conhecer melhor a obra da autora, visite:
https://estudosobreocarcere.wixsite.com/idalinacnunes
http://idalinadecarvalho.blogspot.com.br/
http://artigosfilosofia.blogspot.com.br/