quinta-feira, 31 de outubro de 2013

RAFAEL CARVALHO: rapper e grafiteiro

“Já não temo, não tenho tanto medo como eu tinha” (Rafael Carvalho)


Mineiro de Leopoldina (MG), Rafael Carvalho veio para Cataguases ainda criança, demostrando desde muito cedo habilidade para o desenho e, tão logo aprendeu a ler e a escrever, começou a se arriscar na senda da rima, do ritmo, da palavra.

Aos 22 anos, já percorreu caminhos e descaminhos, foi e voltou,  sempre ousando e buscando a liberdade que, segundo ele, é  o sentido da vida.  Tem como ídolo o rapper estadunidense Tupac Amaru Shakur, mais conhecido pelos seus nomes artísticos 2Pac, Makaveli ou apenas Pac. Segundo os críticos e membros da indústria fonográfica mundial, 2 Pac é reconhecidamente o maior rapper de todos os tempos. Além de ser músico, Tupac também foi ator e ativista social. A maioria das suas canções trata sobre como crescer no meio da violência e da miséria nos guetos, o racismo, os problemas da sociedade e os conflitos com os outros rappers. O trabalho dele é conhecido por defender a igualdade política, econômica, social e racial. 

Tanto na preocupação com a situação social que envolve os meninos e meninas que crescem nos "guetos" brasileiros, como na dupla atuação artística: como rapper e grafiteiro, Rafael mostra trilhar caminhos também trilhados por Tupac, e mantém o foco no seu objetivo - que é de aprofundar-se no estudo do desenho e da música, bem como apurar os sentidos para captar as sensações que refletem a forma de expressão desta Cataguases periférica.

Que Rafael Carvalho, embora iniciante apenas nesta trajetória, já se mostra como artista promissor, não se pode ter dúvida. (Aliás, as periferias mineiras estão permeadas de talentos ainda não descobertos). Importante, contudo, é  ressaltar a proposta do trabalho de Rafael Carvalho, que traz uma arte pragmática, conteudista, tendo como base a análise sociológica da vida nos morros, da situação prisional, tem como a crítica acerca da decadência de instituições fundamentais como a família e a escola. Embora jovem, o que  ele demonstra em suas letras, é a profunda vivência adquirida nos atalhos e descaminhos percorridos - e a ousadia de  haver se arriscado por sendas tão obscuras é que lhe dá hoje a propriedade para falar sobre o assunto.

O primeiro CD do artista deverá sair no primeiro semestre de 2014. Entretanto, neste final de 2013, Rafael Carvalho  prestigia a antologia poética "Poetas da Liberdade",  que reúne poemas de alunos da escola prisional de Cataguases (MG),  autorizando a publicação de uma letra que reflete a importância da família, principalmente para aqueles que se veem privados do direito de ir e vir.  O livro será lançado neste mês de novembro, mas já adiantamos aqui o texto do nosso artista homenageado:

 Família

Nada melhor do que o apoio da família
que dá carinho,  amor todos os dias.
Quando estou triste, ela está do meu lado,
quando choro, me sinto solitário, ganho um abraço.
Família supera todas as dificuldades, supera saudade,
me visitou por um ano e três meses atrás das grades.
Não vejo a hora de curtir a liberdade
junto com minha família, vivendo e curtindo a felicidade.
Lá fora tem gente sem família
sem teto, sem comida,
tem gente que não sabe viver a vida.
Eu fiz minha família sofrer
queria me drogar, não queria saber.
Hoje eu dou valor a um beijo, um abraço,
hoje eu vejo que nem tudo é tão fácil.
Largado, esquecido na calçada,
andando, vagando pela madrugada...
O pior foi ver no rosto do meu pai rolar a lágrima.
O que é isso, meu Deus, a que ponto eu cheguei...
não dá  nem para acreditar...
quando lembro do que eu fiz
eu quase chego a chorar.
Eu venho te falar, te dizer,
droga não é alternativa ou meio de viver
nunca desista dos seus sonhos
fique com sua família, faça planos.

Nada melhor do que curtir a família,
nada melhor do que saber viver a vida.

No filme que vou te contar agora
a vida do crime é uma escola.
Apanhei  e tudo que  sei não é absolutamente nada
todos os conselhos da família não foram piada
lágrimas, solidão e uma dose de desespero:
é ruim sentir mágoa e agonia no meio do peito.
Não aceite propostas e falsos convites,
isso tudo é uma bomba, como dinamite.
Sorriso no rosto da família não tem preço,
sofrimento para  você eu não desejo.
Agora te falo, qual foi o meu mérito:
abandonar o crime e fazer rap em um caderno.
Tudo de bom, que Deus te abençoe todos os dias.
Que você saiba valorizar essa palavra chamada família.

 ***
Na foto abaixo, Rafael ao lado de seu ídolo, 2 Pac












Motivos,  razões, problemas, dificuldades
Esperança ofuscada na minha realidade
Um pouco de sonho, um pouco de fé
Pureza no coração ajuda a ficar em pé.
(Rafael Carvalho)


4 comentários:

Glória Reis disse...

Projeto fantástico!!! Parabéns a todos, fiquei muito feliz ao vê-lo realizado e continuarei contribuindo com a divulgação do livro.

Movimento de Cursilhos de Cristandade disse...

Parabéns pelo projeto e pela execução. São projetos assim que nos dá a certeza da presença de Deus em nosso meio. Parabéns aos coordenadores, e aos artistas poetas! Deus os abençoe e os fortaleça na luta pelos excluídos.

Idalina de Carvalho disse...

Obrigada, Glória! Sua contribuição foi de extrema importância para a publicação do livro: agradeço, em nome de todos os alunos! Ano que vem não estarei na Escola Prisional, mas levo comigo o contato de talentos descobertos por lá - a fim de tecer aqui fora o apoio para que eles consigam construir uma nova história de vida. Abraço. Idalina de Carvalho.

Idalina de Carvalho disse...

Obrigada, amigos do Movimento de Cursilhos da Cristandade. Sim, a presença de Deus é a presença mais forte para os encarcerados. E Deus foi o nosso maior patrocinador, já que a fé move os alunos a encontrarem-se consigo mesmos. Obrigada, em nome dos meus alunos. IDalina de Carvalho
idalinadecarvalho@gmail.com